Defensoria Pública participa da formatura de mulheres vítimas de violência capacitadas pelo projeto TransformAção

Por Assessoria de Comunicação em 2 de setembro de 2021

A assessora Institucional da Defensoria Pública-Geral e coordenadora estadual de Promoção e Defesa dos Direitos das Mulheres, Samantha Vilarinho Mello Alves, representou a Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG) na solenidade de formatura de mulheres que participaram do projeto TransformAção, do Governo do Estado. O evento aconteceu nesta quarta-feira (1º/9), no auditório JK, na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte.

Noventa mulheres que já foram vítimas de violência doméstica agora contam com uma profissão e um novo caminho pela frente. Por meio do TransformAção, foram capacitadas e se tornaram cabeleireiras, maquiadoras, cozinheiras, costureiras, assistentes administrativas; donas das suas vidas e com possibilidade de serem independentes financeiramente.

Desenvolvido pela Subsecretaria de Prevenção à Criminalidade, da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), e financiado pela Embaixada dos Estados Unidos, em um custo aproximado de R$ 125 mil, o projeto buscou ofertar para mulheres vítimas de violência doméstica uma nova profissão, que possibilite geração de renda e contribua para o rompimento do ciclo da violência.

Autoridades acompanham o emocionado discurso da formanda Simone Oliviera – Fotos: Claudinei Souza/DPMG

Cinco cursos de temáticas distintas, de fácil empregabilidade e empreendedorismo, foram ofertados para essas mulheres, com carga horária de 44 horas. A escolha das capacitações foi feita pelas próprias mulheres que são atendidas pelo Programa Mediação de Conflitos (PMC). Elas tiveram a oportunidade de se profissionalizar nas seguintes áreas: Assistência Administrativa; Costura Criativa; Culinária (focada em pizzas, salgados e lanches); Maquiagem e Cabeleireiro.

Em seu discurso voltado para as formandas, o vice-governador de Minas Gerais, Paulo Brant, destacou que o evento mostra o quanto a educação é importante para mudar trajetórias. “Só a educação é transformadora. Não há liberdade sem educação. Vocês são guerreiras. São mulheres que passaram por situações difíceis e complexas. Esta oportunidade que vocês tiveram representam uma janela de luz a iluminar a vida de vocês. Foram capacitadas e criarão uma rede que vai se multiplicar e gerar benefícios para todas que se engajaram nestas redes”.

Além da capacitação, o projeto também forneceu vale transporte e alimentação para as mulheres participantes. Para aquelas que tinham filhos e não tinham com quem deixar as crianças, havia um espaço com cuidadora para os pequenos em uma sala ao lado de onde as mulheres se capacitavam. Outro benefício concedido às participantes é um vale compras no valor de R$ 125,00 para que elas possam investir e iniciar sua vida profissional, comprando materiais e equipamentos de acordo com o curso realizado.

Receberam o diploma 90 mulheres vítimas de violência e moradoras de comunidades carentes

O curso também proporcionou às mulheres aulas de disciplina humana e educação financeira com o objetivo de incentivar o autoconhecimento, a autoestima e, ainda, informá-las sobre seus direitos. Fizeram parte da grade curricular temáticas como Direito das Mulheres e Comunicação Não-Violenta; Ensinando Mulheres sobre a Vida Profissional; A Importância de Ser Feliz com Você Mesma (Saúde e Autoestima) e Ensinando Mulheres sobre Educação Financeira.

As mulheres participantes são moradoras de comunidades carentes de Belo Horizonte, como Serra, Santa Lúcia, Cabana, Morro das Pedras, Pedreira Prado Lopes, Taquaril, Jardim Felicidade, Ribeiro de Abreu, Jardim Leblon, Vila Cemig e Vila Pinho.

“Eu quero que vocês acreditem em vocês. Funciona, dá certo. Tudo que eu me tornei foi porque eu achei a porta do Mediação de Conflitos aberta. Eu tenho dez marcas no meu corpo de facas, mas eu não me estacionei. Agarrei todas as oportunidades que me foram dadas. Foram vários os desafios que enfrentamos para fazer o curso. Mas o mais importante do curso não foi a capacitação, e sim, conhecer outras mulheres e outras histórias e fortalecer ainda mais esta luta”, discursou emocionada a oradora e formanda, Simone Maria da Penha Oliveira.

Simone Oliveira também se formou no curso de Defensoras Populares, realizado pela Defensoria Pública de Minas Gerais, em Belo Horizonte.

A defensora pública Samantha Vilarinho e o vice-governador Paulo Brant, durante a solenidade

Com informações da Sejusp

Compartilhar com:
Tags:

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS